Cartografia e Sistemas de Informação Geográfica

​A informação geográfica atualizada e fidedigna é essencial para o planeamento, gestão e ordenamento municipal, assim em 2008 a AMDE criou o gabinete de sistemas de Informação geográfica (SIGAMDE), atualmente GEOCIMAC e que tem como objetivos a implementação e consolidação dos Sistemas de Informação Geográfica para os municípios associados e a criação e manutenção de uma Base de Dados de Informação Geográfica (BDIG) que constitua a infraestrutura espacial de apoio ao planeamento municipal. As principais áreas de atuação são:

  • Aquisição/atualização de cartografia e cadastro normalizado.
  • Criação de uma Base de Dados de Informação Geográfica (BDIG) de toda a informação geográfica do Alentejo Central, normalizada e acessível.
  • Criação de uma Infraestrutura de dados espaciais: IDE-CIMAC.
  • Formação e apoio técnicos aos municípios.
  • Desenvolvimento de Aplicações SIG / WEBGIS para atender às necessidades dos municípios e cidadãos.

A aquisição de cartografia digital iniciou-se em 1998, com a celebração com a SLE – Eletricidade do Sul e a Portugal Telecom S.A., de protocolos de colaboração para a aquisição partilhada de cartografia de grande escala (1:1000 e 1:5000) para as sedes dos concelhos de Arraiolos, Estremoz, Montemor-o-Novo e Redondo contando com o apoio do Instituto Português de Cartografia e Cadastro.

A este modelo associou-se também a cartografia urbana da cidade de Évora. Em 2003 a AMDE celebrou com o Instituto Geográfico Português (IGP) protocolos para a elaboração de cartografia às escalas 1:2000 e 1:10000, tendo então iniciado o processo de aquisição dessa cartografia para a totalidade do distrito de Évora. Atualmente todo o território está coberto por cartografia 1:10000 nas áreas rurais e 1:2000 ou 1:1000 nos núcleos urbanos.

A GEOCIMAC procede ao longo do tempo a atualizações dessa mesma cartografia, utilizando o catálogo e especificações técnicas da Direção Geral do Território (DGT). A última atualização de cartografia urbana foi realizada em 2014. A GEOCIMAC é ainda responsável pela sua  homologação para efeitos de utilização nos planos municipais de ordenamento do território (PMOTs) (DL. Nº 141/2014 de 19 de Setembro).

Foto11_.jpg

Cadastro Rústico

A vectorização do cadastro rústico foi elaborada no âmbito do protocolo de colaboração com o IGP (atual DGT). Iniciou-se em 2004, no âmbito do projeto Technolangue, financiado pelo MEDDOC, onde se vetorizaram a título piloto os municípios de Borba e Vila Viçosa. Numa 2ª fase já no âmbito do projeto GEOALEX em 2006, vetorizaram-se os municípios da raia, Estremoz, Redondo, Alandroal e Mourão. Os restantes municípios, assim como a atualização do cadastro dos anteriores foi elaborada em 2011 com os dados raster atualizados à data fornecidos pela DGT, no âmbito do projeto PEGLA.

Neste projeto não está incluído o município de Reguengos por não ser associado da então AMDE. O cadastro está disponível para consulta através do portal do SMIGA-AC (http://ide.cimac.pt/smigaweb/).

Foto13_.jpg

Carta de Ocupação e Uso do Solo

Em 2004, a AMDE iniciou o processo de elaboração da cartografia de ocupação e uso do solo à escala 1:10000, para apoio aos municípios associados. Esse processo, enquadrado em diversos projetos de cooperação transfronteiriça foi desenvolvido em duas fases distintas:

  1. Estudo da legenda a adaptar à escala 1:10000 (2005);
  2. Elaboração da cartografia à escala 1:10000 (2007-2008).

Estes trabalhos foram integrados no âmbito de diversos projetos transnacionais e transfronteiriços (Technolague, OTALEX e OTALEX II). Em 2009 é editado pela AMDE, o livro “Corine Land Cover Nível 5. Contribuição para a Carta de Uso do Solo em Portugal Continental” no âmbito do projeto OTALEX – Observatório Territorial e Ambiental Extremadura (Guiomar et al. 2009).

A carta de ocupação e uso do solo para o distrito de Évora e município de Sousel (CLC N5 CIMAC) foi realizada com base na fotointerpretação dos ortofotomapas de 2005, de resolução espacial de 0,5 metros, da Direcção-Geral dos Recursos Florestais (DGRF). A validação de campo foi realizada no último trimestre de 2008.

3.png

IDE-CIMAC (http://ide.cimac.pt/)

A Infraestrutura de Dados Espaciais da CIMAC – IDE-CIMAC foi criada em 2011 e é o Portal de Dados Geográficos do Alentejo Central. A IDE-CIMAC constitui um repositório de informação, com o propósito de dar a conhecer a informação geográfica disponibilizada pela CIMAC, quer ao público, quer aos municípios associados. A IDE-CIMAC tem ainda a vertente de publicação de informação geográfica via serviços WMS e WFS. Os serviços publicados pela CIMAC estão também listados na IDE-CIMAC, bem como alguns de outras entidades que julgamos serem pertinentes para os utilizadores localizados no distrito de Évora.

4.png

Caminhos de Évora – o Distrito em mapas

Criado no âmbito do projeto Évora Distrito Digital, o Caminhos de Évora  (www.caminhosdeevora.pt) foi a primeira aplicação WEBGIS criada pela AMDE, em 2006, com a informação sobre os pontos de interesse turístico, municipal e empresarial existentes no Distrito. Atualmente encontra-se em atualização e integração com os restantes portais geográficos da CIMAC.

5.png

SMIGA-AC – Sistema Municipal de Informação Geográfica Ambiental do Alentejo Central (http://ide.cimac.pt/smigaweb/)

O projeto “Sistema Municipal de Informação Geográfica Ambiental do Alentejo Central – SMIGA-AC” foi financiado pelo INALENTEJO e decorreu entre 2010 e 2014. Surge da necessidade de reunir os dados de carácter ambiental e territorial do Alentejo Central, numa única geodatabase normalizada que permitisse o acesso aos municípios associados e a atualização da base de dados da CIMAC. O SMIGA-AC é composto pela informação territorial e ambiental disponível na CIMAC e passível de ser disponibilizada via browser.

6.png

SIGREDES

O projeto SIGREDES desenvolveu-se de 2011-2013 e integrou o levantamento e cadastro de infraestruturas de abastecimento de água e de saneamento dos aglomerados urbanos de 13 municípios da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, bem como o desenvolvimento de uma aplicação de gestão e atualização dessas mesmas redes.

O SIGREDES é um caso único a nível nacional de levantamento sistemático e uniformizado das infraestruturas de abastecimento de água e saneamento para uma área contígua de 13 municípios. Foram levantados 127 aglomerados urbanos, mais de 3000 km de coletores e condutas, cerca de 145000 ramais de abastecimento, 96000 ramais de saneamento e 46000 caixas de visita, tendo estado envolvidos no projeto cerca de 80 técnicos municipais e da empresa adjudicatária.

Foto19_SigRedes.JPG

Foto20_SigRedes.jpg

© 2014 - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central Termos de Responsabilidades Condições de Privacidade made by |create| it |