Ambiente

​​​

O PROJECTO PLACARVÕES

Este projeto consiste na concretização de uma solução que integra os princípios da Economia Circular na cadeia de valor dos plásticos, com a valorização de resíduos de plásticos (plástico agrícola, plásticos descartáveis e CDR) através da produção de carvões ativados. O carvão ativado é um material com uma capacidade extraordinária, neste caso em particular, para captar seletivamente líquidos ou impurezas no seu interior, tendo um elevado poder de clarificação e purificação de líquidos. 

A produção destes materiais adsorventes vai ser efetuada, a diferentes temperaturas e com recurso a diferentes agentes de ativação, como o vapor de água, dióxido de carbono, ar, entre outros. Os materiais obtidos serão caracterizados por diversas técnicas para obter a sua caraterização textural; nomeadamente a sua estrutura porosa; e caracterização química, em particular os grupos funcionais presentes na superfície. Após a caracterização, amostras selecionadas serão testadas na remoção de compostos característicos ou similares dos que normalmente surgem nos efluentes líquidos industriais, em particular no domínio agrícola.

Atualmente 50% dos resíduos urbanos são refugo e rejeitados, na sua maioria plásticos não recicláveis, cujo destino final é o aterro ou a incineração. O projeto PlaCarvões propõe uma solução de aplicação dos princípios da Economia Circular na cadeia de valor dos plásticos, com a valorização de resíduos de plásticos (plástico agrícola, plásticos descartáveis e fração não valorizada dos Resíduos Urbanos) através da produção de carvões ativados. O carvão ativado tem diversas aplicações nomeadamente a filtragem e captação de poluentes de meios líquidos e gasosos, podendo ser utilizados em efluentes agroindustriais e urbanos em unidades de pequena a média dimensão, de base local e regional, tornando um resíduo num produto de elevado interesse económico e ambiental.

O projeto PlaCarvões pretende igualmente promover uma economia eficiente e produtiva no uso de recursos, água e solo, de base regional e local, diminuindo a pressão sobre estes recursos através da redução da contaminação com plásticos.

Sinalizada a oportunidade de incorporar um processo de transformação destes plásticos numa nova matéria-prima, com valor acrescentado por contribuir para o tratamento de efluentes urbanos e agroindustriais e para a redução de plásticos sem tratamento oriundos da atividade económica instalada, foi criado um consórcio de entidades que intervêm em diversas fases do ciclo e com capacidade e competências para atuar no âmbito regional e local do projeto.

A unidade a instalar na fase de projeto para produção de carvão ativado, a cargo da Universidade de Évora, será uma unidade experimental e demonstrativa, que permitirá avaliar a sua transposição para uma situação futura de implementação de pequenas unidades móveis ou, em alternativa, a localização do processo de transformação junto de empresas do setor dos resíduos.

Este projeto enquadra-se no trabalho que está a ser desenvolvido no âmbito do Fórum da Economia Circular do Alentejo e da Estratégia Regional da Economia Circular do Alentejo (ERECA).

Consulte a apresentação deste projeto AQUI​.​


Estação meteorológica e ambiental OTALEX

A CIMAC possui uma Estação Meteorológica e Ambiental (EMA) disponibilizada pelo projeto OTALEX C, que está implantada no Parque Industrial e Tecnológico de Évora (PITE). Esta estação possui os seguintes equipamentos sensores: velocidade do vento, direção do vento, temperatura do ar, humidade relativa, pressão atmosférica, radiação global, radiação UVA, radiação UVB e luminosidade. A EMA disponibiliza, desde maio de 2013, dados de 10 em 10 minutos para o portal do SMIGA-AC (http://ide.cimac.pt/smigaweb/).


 

Ruído

Desde 2003 que a AMDE/CIMAC tem vindo a apoiar os municípios nas questões relacionadas com o ruído, tendo nos seus quadros recursos técnicos especializados nesta área. Assim na área do ruído e acústica, para além do apoio técnico na elaboração de relatórios de acústica, a CIMAC promoveu a elaboração dos mapas de ruído dos municípios do Alentejo Central, tendo em vista a identificação das zonas de maiores níveis de ruido diurno (Lden) e noturno (Ln) de acordo com a legislação em vigor com vista à promoção da melhoria do ambiente acústico.

Em 2005 foram elaborados os mapas de Ruído do Distrito de Évora, à escala 1:10 000 (Concelho) para articulação com o PDM, e à escala 1: 2000 (sede de Concelho) para articulação com o PU, os quais foram atualizados em 2007, face à nova legislação, com exceção de Mourão e Alandroal. Foram ainda realizados mapas de ruído em loteamentos para as Câmaras Municipais de Borba e Mora, o Mapa de Ruído da sede de concelho de Reguengos de Monsaraz, o PP dos Leões e o PP do Rossio, ambos para a Câmara Municipal de Évora.

Foto3_Ruido1.jpg 

Foto3a_Ruido2.jpg
 

Agendas 21 Local

Os Municípios do Alentejo Central têm desenvolvido na última década diversas ações com vista à promoção de um desenvolvimento sustentável. Muitos são os que iniciaram processos de planeamento assentes na lógica da Agenda 21 ou que, através de ações similares têm promovido a criação de consensos na procura de soluções integradas de desenvolvimento.

Os municípios de Arraiolos e Redondo elaboraram as suas Agendas 21 Locais através do projeto “DITAL 21 – Desenho e Implementação Transfronteiriça da Agenda 21”, promovido pela Associação de Municípios do Distrito de Évora, em 2003. Na sequência deste projeto, os Municípios de Alandroal, Borba, Estremoz, Évora, Montemor-o-Novo, Mourão, Portel, Reguengos de Monsaraz e Vendas Novas elaboraram as suas Agendas 21 Locais, tendo ficado concluídas em 2012 no âmbito do projeto “Elaboração e Implementação da Agenda 21 Local do Alentejo Central”, cofinanciado pelo INALENTEJO.

Os municípios de Mora e Viana do Alentejo concluíram também as respetivas Agendas 21. Desta forma, no início de 2012, a região do Alentejo Central ficou plenamente capacitada para a promoção integrada de um desenvolvimento sustentável e dotada de planos de ação locais para a sua concretização

Foto37_AG21.JPG
 

© 2014 - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central Termos de Responsabilidades Condições de Privacidade made by |create| it |